Glossário

Imprimir

Richard D. Ryder

Escrito por dmarski. Especismo

"Eu uso o termo 'especismo' para descrever a discriminação abrangente praticada pelo homem contra outras espécies e para traçar um paralelo com o racismo. Especismo e racismo são ambas formas de preconceito baseadas nas aparências - se o outro indivíduo tem um aspecto diferente então é considerado moralmente inadmissível. O racismo é hoje condenado pelas pessoas mais inteligentes e compassivas e parece simplesmente lógico que essas pessoas devam estender sua preocupação por outras raças a outras espécies também. Especismo e racismo (e na verdade sexismo) ignoram ou subestimam as semelhanças entre o discriminador e aqueles contra quem discrimina e ambas as formas de preconceito expressam o descaso egoísta pelos interesses de outros e por seus sofrimentos".

Fontes

RYDER, Richard D. Speciesism. In: ________. Victms of Science: the use of animals in research [1975].

Revised edition 1983. London: Centaur Press; National Anti-Vivisection Society Limited, 1983, p. 5

[Tradução de Sônia T. Felipe para uso na disciplina de Ética Global II].

Imprimir

Sônia T. Felipe

Escrito por dmarski. Especismo

De acordo com o que Ryder propõe e o uso que Singer lhe dá, o termo especismo designa a forma discriminatória pela qual seres humanos tratam seres de outras espécies animais como se estes existissem exclusivamente para servir aos interesses daqueles. Nesse sentido, interesses e preferências de um ser humano sempre são colocados como inquestionavelmente superiores e, portanto, prioritários em relação aos interesses de todos os demais animais, ainda que alguns interesses expressos dos animais sejam exatamente os mesmos manifestos em humanos, ou mesmo superiores aos daqueles.

O especismo, ou seja, o preconceito que leva os humanos a não considerarem os interesses de seres de outras espécies, tem seu fundamento na percepção e na constatação das diferenças aparentes determinadas pelo padrão biológico dos seres em apreço. Se um determinado interesse aparece em um ser constituído biologicamente em uma espécie animal não humana, os seres humanos deixam de considerá-lo moralmente.

Nas exatas palavras de Richard D. Ryder, o termo especismo é usado "... para descrever a discriminação generalizada praticada pelo homem contra outras espécies, e para estabelecer um paralelo com o racismo. Especismo e racismo são formas de preconceito que se baseiam em aparências - se o outro indivíduo tem um aspecto diferente deixa de ser aceito do ponto de vista moral. O racismo é hoje condenado pela maioria das pessoas inteligentes e compassivas e parece simplesmente lógico que tais pessoas estendam também para outras espécies a inquietação que sentem por outras raças. Especismo, racismo (e até mesmo sexismo) não levam em conta ou subestimam as semelhanças entre o discriminador e aqueles contra quem este discrimina e ambas as formas de preconceito expressam um desprezo egoísta pelos interesses de outros e por seu sofrimento."

De acordo com o significado do termo especismo pode-se considerar a discriminação praticada contra os animais como fundada no preconceito cultivado pelos seres que se dizem morais, contra seres que não têm, como o diz Ryder, uma aparência igual à dos Homo sapiens. A mera constatação da diferença orgânica, para o racista, assim como para o especista, parece constituir-se em obstáculo insuperável à moralidade e tal obstáculo configura um limite para além do qual, no entender do especista, não vale a pena o dever de aplicação do princípio ético da igualdade.

É como se os filósofos que formulam as teorias éticas tradicionais estivessem sempre a fazer depender o emprego de um princípio ético nas decisões e ações que afetam interesses de outros, de alguma característica factual que esse outro teria a obrigação de apresentar, para que em relação a ele os demais tenham o dever de agir eticamente.

Fonte

FELIPE, Sônia T. . Por uma questão de princípios: Alcance e limites da ética de Peter Singer em defesa dos animais. Florianópolis. Fundação Boiteux, p. 83-84, 2003.